ASSOCIADOS
MARIA ARAUJO



A artista plástica e escritora Maria Araújo participou do Terceiro Salão Nacional de Artes da ADESG no Museu Histórico Do Exército e Forte de Copacabana, recebeu o troféu Personalidade 2010 da Associação Fluminense de Belas Artes.
Lançou no dia 17/03/2011 livro Edifício Seabra no salão do livro em Paris sobre, Patrimônio Histórico Imigração Européia e Identidade Cultural recebendo o diploma Le Mérite Et Dévoument Français e Médaille d´Or pour services excepitionnels rendus á La Collectivité Humaine Paris/21/03/20011 A artista explora o estilo contemporâneo, ela admira o trabalho de Manet, Monet, Renoir e Kandinsky. Natural da cidade de Natal , Maria Araújo se formou na Faculdade em Licenciatura Plena para o ensino da Arte, na Universidade Metodista Bennette, fez Pós Graduação em Gestão e Produção Cultural na FGV.
Casada, mãe de três filhos, Maria tem cinco netos, paixões de sua vida. Ela afirma que costuma criar suas obras entre pincéis e crianças, suas inspirações.
Amo a loucura do Ateliê, onde me debruço em minhas telas, papéis e tintas, meus netos não atrapalham o meu trabalho e nem minha concentração, pelo contrário eles me proporcionam mais estimulo para criar mais.
Sempre gostei de pincelar, criar minhas obras e me apaixonar por minhas esculturas, rabiscar desenhar vestidos e fazer moldes para os modelos que crio, mas nunca me imaginei em uma exposição.
Hoje a exemplo do livro de Faya Ostrower : "Acasos da Criação" onde ela declara em seu livro que, "não existe criação artística sem acasos" para Fayga Ostrower, que além de artista é também professora, ela explica em seu livro que para o artista a idade não é importante o importante é ter a força e a sensibilidade de projetar a emoção, que sentimos com as experiências adquirida ao logo do tempo.
.... É uma artista que ama Manet, Monet, Renoir, mas admira muito Kandinsky o inventor da arte abstrata ela admira muito sua coragem, "ele foi o primeiro artista, a abandonar toda e qualquer referência à realidade reconhecível".
Maria Araujo, adora a precisão das linhas de Mondrian um arquiteto da ordem e harmonia na arte de pintar.
Sobre nossos artista brasileiros, admira muito Ligia Clark, Carlos Vergara, Iberê Camargo, Portinare e muitos outros de igual valor artístico.
É uma artista que gosta da luz natural, ao mesmo tempo no silêncio da noite fica imaginando traços cores quase em delírio, pincela suas emoções. é adepta da arte abstrata, segundo ela se sente motivada por essa arte porque tem seu mais alto conteúdo na emoção, impulso e liberdade, afinal obras que não tem comprometimento com regras, libertam o autor para todos os seus desejos...
"Quando percebi o significado de "arte" atribuído a um simples pedaço de tronco talhado com o objetivo simbólico de eternizar-se como uma obra de arte, que qualquer coisa pode passar pela imaginação do artista, impulsionando o desejo de cria explorando e transformando através das cores e da luz, experimentando a angustia e o prazer, no momento da fruição, sei também da importância absoluta no momento da criação que passa para o julgamento do expectador e este, passa a ser cúmplice e responsável por desnudar a alma do artista".


Edifício Seabra:
Maria Araujo -editora Yveliedition
Artista plástica, formada em lic. Plena em artes Fac. Bennette
Pós graduada em gestão e produção Cultural FGV
Pesquisadora nas áreas de: identidade cultural, imigração, miscigenação, ecletismo e religião.

O livro Edifício Seabra, tem como foco o Patrimônio Histórico Cultural, neste contexto. O prédio é um exemplo do ecletismo arquitetônico; uma manifestação típica recorrente do Rio de Janeiro nas primeiras décadas do século XX. Ele é um documentário histórico desse período.
A intenção, é levar para o leitor, um breve conhecimento daquele período moderno do pós guerra com a imigração européia, artistas e arquitetos construíram verdadeiras obras de arte, adaptando estilos ecléticos nas suas construções sendo facilitado pelos novos conhecimentos que os imigrantes trouxeram em suas bagagens culturais como também em razão dos novos materiais que passaram a ser importados.
O Livro Edifício Seabra, contém um viés na urbanização do Rio de Janeiro, mostrando o alargamento da Av. Rio Branco, no governo Pereira Passos, que proporcionou o crescimento urbano em direção a zona sul e o inicio da construção de prédios de apartamentos.
É mostrado no livro uma breve biografia da família, Grimaldi Seabra; uma das representantes da classe bem sucedida dentre os imigrantes europeus.
Espero que esse livro leve para o leitor uma reflexão de nossas responsabilidades e de respeito ao Patrimônio Histórico Cultural. São prédios instalados não só na cidade do Rio de Janeiro como também em qualquer parte do nosso território, que possamos priorizar as intenções e as ações no que diz respeito a preservação desses monumentos que são verdadeiras obras de arte, tornando viva a memória de nossas cidades através da história. Para contato: maria.araujo22@hotmail.com

Tel. para contato22594243
 
Associados
Proximos Eventos
Literarte © 2013
EtiServer