ASSOCIADOS
Rai d' Lavor


Sobre mim:
Hoje tenho muito do que falar.
Diretamente do sertão nordestino para a cidade maravilhosa, uma mulher guerreira, costureira e atualmente escritora, uma eterna sonhadora que sempre acreditou na realização de seus sonhos.

No ano de 1950, nascia uma menina no sertão de Pernambuco. Cresceu e viveu até os 23 anos naquela cidade do interior. Residia no sítio Bezerros, no município de Serrita, Pernambuco. Sempre trabalhou duro na agricultura para ajudar aos pais no sustento da família.
Só que sempre teve um desejo no coração: sonhava em ir embora para cidade grande para poder estudar, mesmo porque ali não tinha condições para isso, já que o seu tempo era tomado pelo trabalho duro na roça. Ela não desfrutou da infância nem das brincadeiras de criança, mas um belo dia, Deus começou a mudar a minha história. Era mês de abril de 1973. Uma sexta-feira da paixão. Quem aparece no sertão? Uma prima do meu pai de nome Hercília Lavor que morava há anos no RJ e me convidou para conhecer a cidade maravilhosa. E assim foi começando o desenrolar da minha história...
Na hora foi difícil acreditar no que estava ouvindo, mas logo ouvi do meu pai uma palavra: "- Deixo minha filha ir, mesmo porque esse sempre foi um dos seus maiores desejos.
Sei que irá me fazer muito falta e também deixará uma saudade enorme! Mas "Deus sabe o que faz." Então ele disse - "Vá em paz."
Cheguei à cidade grande com medo de não conseguir trabalhar e estudar, mas na manhã do dia seguinte surgiu uma luz no fim do túnel. Uma prima que morava em Niterói de nome Francisca Lavor me convidou para morar com ela. E passados três meses, em agosto de 1973, consegui o primeiro emprego em um laboratório farmacêutico onde trabalhei por sete anos. Nesse período consegui estudar e concluir o ensino fundamental em dezembro de 1978.
Nesse período conheci um rapaz com quem fui morar. Passados quatro anos, nascia minha primeira filha, Jacqueline e dois anos depois nascia
Marco Aurélio. E com isso eu tive que abrir mão do trabalho e dos estudos, pois precisei cuidar dos meus filhos, mesmo porque minha relação com o pai deles fracassou e com isso tive que assumir tudo, ou seja, ser pai e mãe ao mesmo tempo. Desta forma, passei por muitos momentos difíceis!
Foram quatro anos de muitas lutas até que em fevereiro de 1986 conseguiu empregar-me em uma farmácia de manipulação no centro do Rio de janeiro. Graça a Deus! Para minha surpresa, o Presidente daquela instituição se comoveu com a minha história de vida e presenteou-me com uma bolsa de estudos para meus filhos onde estudaram do jardim até o ensino fundamental.

Passados sete anos nessa farmácia de manipulação, em junho de 1992, resolvi mudar minha rotina de vida. Fiz acordo na firma, recebi meus direitos e comprei uma máquina de costura overloque e dei seguimento ao meu trabalho em casa, já que meus filhos estavam na fase da adolescência e começaram a dar um pouco de preocupação, pois ali bem próximo de minha casa já existiam as malditas drogas. Então, eu achei melhor abrir mão de meu emprego para acompanhar meus filhos e assim evitar que algo de ruim viesse a acontecer com eles.

E assim continuei trabalhando em casa, como costureira, já que aprendi a profissão com dez anos de idade ainda no Sertão.
Passados doze anos, resolvi partir para o trabalho formal. Após folhear o jornal, encontrei uma oferta de emprego em uma vitrine do Leblon onde trabalhei apenas sete meses, pois minha coluna não suportou as "oito" horas de trabalho sem intervalo, só tinha um intervalo de quinze minutos para almoçar. Certo dia comecei a sentir fortes dores nas costas e minha patroa muito boa, resolveu ajudar-me. Ligou imediatamente para a administradora de seu plano de saúde e pediu que fossem autorizadas três seções de acupuntura para mim. No dia seguinte comecei meu tratamento e terminada as seções cheguei para minha patroa e disse: "- Querida! Que coisa boa aconteceu comigo: minhas dores sumiram! Que tratamento excelente!" E a patroa disse: "- Que legal! Foi mesmo? Então já que você melhorou, está aqui o seu aviso prévio." Na hora eu não entendi nada! Meu Deus como o Senhor pode me explicar isso? Eu melhorei de minhas dores, estou apta ao trabalho, estou adorando o que faço, por que será que ela me mandou embora?

E Deus, na sua infinita sabedoria respondeu:
- Filha!
"Você tem que ser cabeça e não calda".
Naquele momento a ficha caiu. Eu entendi perfeitamente o que Deus tinha falado. Aprendi também que as decepções que passamos, na vida, são exatamente porque Deus tem algo melhor pra gente.
Desde aquele dia tudo mudou. Hoje trabalho em casa, ganho o suficiente para minhas despesas e ainda sobra tempo para escrever e ter minhas horas de lazer.


SEGUNDA PARTE DESSA HISTÓRIA

E por falar em escrever, vem agora o momento mais feliz. Depois de criar meus filhos, já com idade avançada, voltei a estudar. Em 2005, com 55 anos, voltei à sala de aula assim mais perdida de que cego em tiroteio. Como estava há 27 anos sem estudar, ficou complicado a minha adaptação às turmas.

Foi uma barra, porque na escola onde eu me matriculei, existia um grande número de adolescentes que só iam para aula fazer bagunça. O desrespeito com o professor já vem de muito tempo atrás, infelizmente!
Isso fez com que eu ficasse reprovada naquele ano, mas não desanimei e no ano seguinte, insisti por uma vaga na Escola de Ensino Básico e Profissional Fundação Bradesco, onde fiz o ensino médio, concluindo em 19/12/2007.
No período que estudei na Fundação Bradesco, descobri o meu talento em uma das atividades em que o aluno deveria escrever uma poesia. Eu escrevi a minha a poesia (MOMENTOS FELIZES) homenageando a escola, visto que naquele mês era o aniversário da Fundação. Para minha surpresa minha poesia foi a vencedora e desde aquele momento nunca mais parei de escrever. Já participei da antologia da Editora Delicatta, no evento de 14 e 15 de novembro 2011 em São Paulo, onde publiquei meu primeiro trabalho com mais 150 autores de 22 estados brasileiros e de Portugal.


Assim, fica aqui um Recadinho para os leitores: Nunca deixem de ouvir a voz de Deus, sempre conversem com Deus quando tiverem dúvidas de algo que pretendam fazer. Ajoelhem e orem, peçam a direção do Pai, o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Ele é o caminho, a verdade e vida. Ele é o princípio de tudo. Sem Ele não tem como ser um vencedor.
Deus é Amor.
 
Associados
Proximos Eventos
Literarte © 2013
EtiServer